Ouvir vozes

a pesquisa intervenção num centro de atenção psicossocial – produção de pequenos-grandes cuidados

Autores

Palavras-chave:

Saúde Mental, Serviço Social, Esquizofrenia

Resumo

Objetivo: o presente estudo buscou compreender as percepções e implicações do ouvir vozes no cotidiano de sujeitos diagnosticados com esquizofrenia no Centro de Atenção Psicossocial, na visão de familiares e equipe. Método: usou-se de pesquisa intervenção como forma de trazer os elementos do processo de aprendizagem da equipe, familiares e usuários. Resultados e Discussões: buscou discorrer sobre o resinificar do “ouvir vozes”, na perspectiva de pensar tal fenômeno para além da patologização dos sujeitos. Considerações finais: o estudo aponta o percurso e as aprendizagens acerca da construção de novas formas de cuidado para com os usuários ouvidores de vozes que não somente a da psiquiatria tradicional.

Biografia do Autor

Márcia Barcarolo, Hospital de Clinicas de Passo Fundo- HCPF

Assistente Social Residente no Programa de Residência Materno Infantil / Neonatologia do Hospital de Clinicas de Passo Fundo. Bacharel em Serviço Social pela Universidade de Passo Fundo – UPF. Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade de Passo Fundo – UPF.  

Clenir Maria Moretto, Universidade de Passo Fundo - UPF

Assistente social, mestre em serviço social pela PUCRS, doutoranda em Educação (PPGEDU/UPF), professora do Curso de Serviço Social/UPF, extensionista, tutora de programa de residência multiprofissional. Coordenadora do Observatório Educação, Juventude e Sociedade/ Cátedra UPF/UNESCO.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

1.
Barcarolo M, Moretto CM. Ouvir vozes: a pesquisa intervenção num centro de atenção psicossocial – produção de pequenos-grandes cuidados. C&H [Internet]. 1º de outubro de 2020 [citado 2º de dezembro de 2020];1(1):1-21. Disponível em: https://rechhc.com.br/index.php/rechhc/article/view/21

Edição

Seção

Artigos Originais